Cornudella de Montsant


Dois meses e meio desde que voltámos à península num Ferry cheio de pessoas e seus pertences, motos, carros…82 dias em que os estímulos “ralentizaram”, um relato do passado, duas divulgações portuguesas, uma casa, muitos conhecidos, alguns amigos, imensa rocha de qualidade.

A rota de mar não se estagnou no nosso destino e quando desembarcados em Barcelona vindos de Génova, assomavam-se a ré do navio uma larga centena ou mais de cabeças: respirava-se o ar de uma manhã mediterrânea, seca, invernal; alguns relembravam uma fugaz estadia na cidade das tendências, outros, de um período de uma vida emigrada – marroquinos na sua grande maioria, tinham mais um dia de trajecto até Tânger. Combinaram com as suas famílias um mês para começar o ano e, – carregados de pesados fardos de cabine, restantes bens na garagem montados em aparatosas carrinhas – ocupavam, assim como nós, o lugar de poltrona e a área possível de alcatifa. Esperavam relaxadamente a chegada da costa setentrional de África. Alguns íam mais longe, teriam ainda de cruzar o deserto de pedra, ver muito litoral para chegar a casa. Senegaleses, professam a mesma religião que os anteriores e coexistem com cortês ligeireza nas piadas de diferença; vêm da origem, são negros.

A vida a bordo não foi de “classe turística”, as horas sucederam-se a observar escapadas de oração para uma sala montada para o efeito; sociabilização nos corredores e chão do convés; conversas e confrontos das possibilidades de vida partilhada num mosaico inter-cultural…Chegamos! Com alguma vontade de caos, de ambiente cosmopolita, de visitar recantos particulares e um bom amigo ; ficamos para dois dias de cidade. Rapidamente nos cansamos do buliço e com sede de calma fomos para sul, província de Tarragona – ainda a dois passos do mar – para a serrania de Prades. “Pim-pam” uma pergunta na padaria da esquina e já estamos entre as paredes de um apartamento em Cornudella. Como muitos outros escaladores optamos pelo conforto de um tecto de temporada ; pelo banho quente e com pressão (quase diário) ; pelo forno que amplia as possibilidades da cozinha ; pelo espaço que permite receber.

A aldeia já nos é familiar – e mais o parking -, aqui tínhamos começado uma viagem, aqui continuam outras. Á segunda-feira só abre um café e, à quarta compra-se a fruta e legumes no mercado da praça. Quase todas as manhãs são frenéticas a planear onde se vai escalar, o que se encadeou ou está por encadear, coreografar passos de vias. Regressa-se de escalar com o cair da luz e celebra-se com mais uma ciber-sessão no bar, jantares e festas ocasionais. Olé!

Embarque do ferry em Génova.

Embarque do ferry em Génova.

O trajecto e companheiros mais habituais para as escaladas em Montsant: James (ao volante), Bernardo e o lugar de guerra do LandRover na pista de acesso.

A pista e os companheiros mais habituais para escalar em Montsant: James Warner (ao volante), Bernardo Gimenez e o lugar de guerra no Land Rover.

Manu em Try Me 8a+, Siuranella Sud.

Manu Flores em Try Me, Siuranela Sul.

Ignasi a caminho de agarrar e "partir" uma reglete - requisito habitual para triunfar em Siurana -; no crux da mesma via - o requisito habitual para triunfar em Siurana.

Ignasi a caminho de agarrar e “partir” uma reglete – requisito essencial para triunfar em Siurana -; no crux da mesma via.

James num 7b+ novo da L'Escletxa.

James a contribuir para a limpeza desta nova via na Escletxa, Montsant.

Escalador desconhecido em Abre los Ojos 8a, Siurana.

Escalador desconhecido em Abre los Ojos, Siurana.

Com os dias mais frios veio o bom tacto e, a neve.

Com os dias mais frios veio o bom tacto e, a neve.

Siuranella Centre.

Siuranela Central.

Fanatismo nocturno em Margalef!

Fanatismo nocturno em Margalef!

Zé a cruzar a Slack que montaram em Tenebres, Margalef.

Zé a cruzar a Slack que montaram em Tenebres, Margalef.

Agente Cesariny mostrou-se bem proactivo na sua passagem pela Catalunha; aqui apanhado de escova em punho, pronto para o combate ao Tick-mark...

Agente Cesariny mostrou-se bem proactivo na sua passagem pela Catalunha; aqui apanhado de escova em punho, sempre pronto no combate ao Tick-mark!

Kale Borroka 8b+

Um muito obrigado ao Alex de Hands Up Creations; acabado de chegar a Siurana disparou da Olla e captou o meu encadeamento de Kale Borroka no Patí .

E enquanto todos bricamos do outro lado da Serra...Até breve!

E enquanto todos bricamos do outro lado da Serra… Fiquem bem e até já!

Advertisements
Categories: UncategorizedTags: , , , ,

3 comments

  1. Agente Cesariny de escova em punho 🙂
    Obrigado por tudo, valeu!

  2. Dji! Altes fotos e report! Obrigado pela excelente hospitalidade e por aquelas sessões intermináveis de Gamão :D! Aquele abraço e beijinho!

  3. Parabéns pelo 8b+ Cuquetes!! Apertem feio!! 😀

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: